CRN 2102

Obesidade Infantil

O problema de obesidade nas crianças é de fundamental importância, primeiramente porque elas se sentem discriminadas por serem gordas e segundo porque a chance de uma criança gorda se tornar um adulto obeso é enorme. O assunto é sério e tem preocupado os profissionais da área de nutrição.
Tratando-se de obesidade infantil, o assunto é sério e tem preocupado os profissionais da área de nutrição.
Morando em pequenos espaços e levando uma vida sedentária, nossas crianças, muitas vezes, se tornam obesas já nos primeiros meses de vida.
As refeições fartas demais, as guloseimas, permitidas sem reservas, e o excesso de refrigerantes fazem com que as células adiposas se multipliquem, ao contrário do que acontece no adulto, quando elas só podem aumentar de tamanho e não de número.
O problema de obesidade nas crianças é de fundamental importância, primeiramente porque elas se sentem discriminadas por serem gordas e segundo porque a chance de uma criança gorda se tornar um adulto obeso é enorme.
Muitos estudiosos do assunto dizem que a puberdade “sela” a sorte de uma pessoa vir a ser eternamente gorda; em outras palavras: se um adolescente for obeso, provavelmente levará este problema por toda a sua vida. entre as explicações plausíveis para este fato, a tendência à multiplicação de células adiposas na puberdade é o mais relevante.
Repensar os hábitos alimentares de toda a família se for preciso, entrar enquanto é tempo com a criança para uma reeducação alimentar.
Em 50% dos casos de obesidade infantil, a causa é externa; veja as principais abaixo relacionadas:
  1. A criança come demais e faz pouco exercício.
  2. Sem ficar com complexos de culpa, vale a pena ficar atenta para o fato de dar alimentos em exagero aos filhos é, muitas vezes, uma tentativa de procurar alguma coisa, ou de compensá-los por alguma falta. Se a mãe trabalha fora e se sente culpada por estar longe dos filhos, vê na superalimentação uma maneira de provar para si e para todos que é uma boa mãe. Se ela não trabalha fora, faz das refeições um presente para toda a família.
  3. Muitas beliscam a toda hora, numa espécie de compulsão. Grande parte nunca teve a sensação de fome. Fazer uma criança emagrecer é tarefa das mais difíceis. O pequeno paciente precisa contar com o apoio da família. É necessário que o pai e a mãe se disponham não só a mudar e a manter seus hábitos alimentares, mas também dar de si, num tratamento que pode ser longo e desgastante. O exemplo dos pais é decisivo para a criança.
  4. Cada caso é um caso. Para cada criança uma dieta muito particular, que fará efeito no tempo e na medida certa. Mas uma coisa é certa; se a criança come demais, quase sempre há um componente de desequilíbrio emocional na família. É hora de uma auto-avaliação.

Como Tratar Crianças Obesas
  • Estimular o exercício físico, evitando que a criança fique muito tempo sem movimento.
  • Faça com que a criança pratique algum esporte que lhe dê prazer.
  • Desenvolva um programa de atividades físicas para seu filho e faça com ele alguns exercícios.
  • Dê a criança opções de lazer. Evite que ela passe horas na frente da TV.
  • Crianças que assistem TV ou comem na frente da TV tem mais propensão para a obesidade. A criança que come em frente ao aparelho fica mais tempo sedentária e ainda é estimulada por comerciais de alimentos. O computador também entra nessa história.
  • A TV é a maior responsável pelo aumento de peso. As crianças ficam, em média, 20 horas por semana na frente da TV.
  • Na idade escolar, substitua os sanduíches e refrigerantes da merenda por frutas e iogurte.

Mudanças de Hábitos
Habitue seu filho a fazer as refeições à mesa. Comer em frente a TV ou correr pela casa com o prato na mão dando comida a ela é prejudicial na reeducação.
Não leve a criança ao supermercado com fome. É provável que ela queira comer algo que não está no seu esquema alimentar.
Quando forem ao Shopping Center, não enfatize a praça de alimentação. Se forem fazer uma das refeições, escolha com a criança algo que esteja dentro da sua dieta.
Se parente e amigos vão à sua casa e presenteiam a criança com guloseimas, oriente-os para que substituam este tipo de agrado por outro, como por exemplo uma revista ou um jogo.
Incentive a preferência da criança por comidas nutritivas e não engordurantes. Dê a ela todos os tipos de frutas e verduras.

Tratamento com Crianças
Exige a participação dos pais, uma dieta balanceada com supervisão nutricional, aumento de atividades físicas, usando criatividade como pular corda, jogos, andar de bicicleta, nadar, correr...

Reeducação Alimentar
Até as guloseimas tem lugar no tratamento, mas em doses adequadas. Outra medida indispensável é estabelecer horário para seis refeições por dia, desestimulando os “beliscos” e a compulsão.
A família tem um papel importante na manutenção do tratamento. “Se apenas a criança for tratada, é possível que não haja sucesso”. Quando os pais cultivam hábitos alimentares corretos, fica mais fácil para os filhos imitá-los.

Segue uma dica: Os pais devem ter uma atitude afetiva, explicando os problemas e não criticar o filho obeso. A discriminação por ser gordo ele já sofre fora de casa.
Outra dica: Corte os estoques de guloseimas e refrigerantes da casa, caracterizando-os para festas e fins-de-semana. Nos fins-de-semana, o segredo é trocar a ida à pizzaria, galeteria ou churrascaria pelo passeio no parque ou no clube, onde toda a família pode fazer atividade física em conjunto.



Data:
Postado em 19/12/2012
Divulgue:
Deixe seu comentário
Nome:
Cidade:
E-mail:
Comentário:
Dra. Joselaine Stürmer
Endereço: Av: Cristóvão Colombo, 2948/410
Telefone: (51) 3232-0605
Horário de atendimento: Segunda: 14h00 às 17h - Terça: 8h30 às 11h30 e 14h00 às 18h30 - Quarta-feira: 08h30 às 13h30 - Quinta-feira: 13h30 às 18h30 - Sexta-feira: 08h30 às 12h30